terça-feira, 23 de agosto de 2016

Crónica e Análise: AS Roma 0 – FC Porto 3



FC Porto Com Passaporte Para a Liga dos Campeões Carimbado

No início de noite desta Terça o FC Porto deslocou-se ao terreno da AS Roma, em jogo a contar para a segunda mão do play-off de acesso à Liga dos Campeões. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 0-3.
Para este encontro Nuno apostou num onze composto por: Casillas; Maxi, Filipe, Marcano e Alex Telles; Danilo, Herrera e André André; Corona, André Silva e Otávio.
O FC Porto entrou em campo sabendo que para passar teria de fazer um resultado melhor do que o empate a 1 conseguido na primeira mão. E os Dragões entraram da melhor forma possível: a pressionar a construção de jogo romana, sendo a cereja no topo do bolo, e o primeiro momento alto do jogo, o golo de Filipe aos 8 minutos. Antes, contudo, ao minuto 2, Casillas foi obrigado a travar um remate adversário. Naturalmente que o AS Roma tentou reagir à desvantagem e o guarda-redes portista teve mesmo de se aplicar, por mais duas vezes para evitar o empate, sendo que numa das ocasiões Casillas evitou um golo quase certo. Pouco depois surgiu o segundo momento alto do jogo, a expulsão de um dos jogadores da Roma, devido a uma falta feia sobre o lateral direito portista. Em consequência da falta sofrida, Maxi foi obrigado a abandonar as quatro linhas. A lesão do uruguaio foi um contratempo para Nuno que teve de lançar para o seu lugar Layun. Perto do intervalo, Herrera poderia ter chegado ao segundo golo, no entanto a bola foi pouco ao lado.
O segundo tempo praticamente iniciou com mais um ponto alto do jogo, a segunda expulsão de mais um jogador da AS Roma, novamente a castigar uma dura falta, desta vez sofrida por Corona. A partir desse momento o FC Porto não só ficou em vantagem no marcador, mas também em dupla vantagem numérica. Os Dragões procuraram aproveitar da melhor forma a vantagem em campo, no entanto, os romanos não desistiram de procurar chegar com perigo junto da baliza de Casillas. Até que Layun, ao minuto 73, protagonizou outro momento alto do encontro, ao fazer o segundo golo que deu a tranquilidade que o FC Porto necessitava. E apenas 2 minutos depois, minuto 75, foi a vez de Corona marcar e fixar a vantagem nos três golos. Gelaram as bancadas do Estádio, festejaram os portistas que se deslocaram à capital Italiana para apoiar o FC Porto.
O primeiro objetivo da época foi concretizado com distinção. Não se esperava um jogo fácil e não o foi. Mas os Dragões, com inteligência, conseguiram transformar as dificuldades em facilidades e sair de Roma com a vitória na mão e o passaporte para a Liga dos Campeões carimbado. O FC Porto foi uma equipa equilibrada, pressionante, competente, concentrada, unida, sólida, solidária e eficaz, o que fez toda a diferença. Gostei, por isso, da exibição do coletivo portista e por essa razão não é fácil destacar ninguém em particular, no entanto, Filipe, Layun e Corona merecem um ligeiro destaque pelos golos que fizeram. Uma palavra de apresso para Nuno, que comandou as tropas com inteligência, calculando o risco palmo a palmo, sem dar um passo maior do que a perna.
Em suma, foi uma vitória justa, inequívoca e muito importante, numa eliminatória difícil que só nos pode deixar orgulhosos e confiantes para o que aí vem, aconteça o que acontecer. Hoje estou feliz, somos Porto!





Luís Castro em Antevisão da 4ª Jornada da II Liga



Aqui está a antevisão de Luís Castro da quarta jornada da II Liga, jogo frente ao Olhanense.

“LUÍS CASTRO: “TEMOS QUE SER MAIS SEGUROS, AGRESSIVOS E EQUILIBRADOS”
Treinador fez a antevisão do FC Porto B-Olhanense, da quarta jornada da Ledman LigaPro (quarta-feira, 17h00)
A quarta jornada da Ledman LigaPro traz a Olhanense até ao Estádio de Pedroso, num jogo marcado para as 17h00 desta quarta-feira (Porto Canal) e em que o FC Porto B procura a terceira vitória consecutiva, depois de ter derrotado o Leixões (2-1) e o Académico de Viseu (1-0). Para que isso seja possível, Luís Castro alerta que a equipa tem que ser melhor do que foi nos primeiros encontros oficiais da temporada: ser mais equilibrada, aperfeiçoar a qualidade do passe, ter mais segurança na transição defensiva e ser mais agressiva no ataque.
Plano de jogo
“Temos que passar melhor, jogar com mais segurança a partir de trás, sermos mais agressivos no último terço do campo, sermos uma equipa mais equilibrada, sermos, no fundo, uma equipa melhor, aproximarmo-nos cada vez mais daquilo que quero que seja o FC Porto B.”
A difícil realidade
“Temos manifestado claramente algumas dificuldades no nosso jogo por vários motivos: trabalhar em cima do mercado de transferências e com um conjunto de jogadores que são novos na equipa e alguns no clube, alguns que vêm do Sub-19 e estão pela primeira vez em contacto com o futebol profissional, faz com que o trabalho seja muito difícil. Felizmente, nestas alturas contamos com a vontade e a dimensão psicológica a presidir e a arrastar todas as outras dimensões de rendimento de uma forma decisiva.“
Duas equipas em busca da vitória
“O Olhanense é uma equipa com um treinador cada vez mais identificado com a Segunda Liga e também com o jogo do FC Porto B. Não vai abdicar dos seus princípios, que é ganhar o jogo tal como nós. Serão, portanto, duas equipas que ao quererem ganhar o jogo e nos teremos que tentar desequilibra-lo o jogo através da nossa qualidade, perante uma equipa competente e que de certeza que vai fazer um campeonato tranquilo.””

Em



segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Antevisão da 2ª Mão do Play-off de Acesso à Liga dos Campeões e Convocados



1 – Aqui está a antevisão de Nuno Espírito Santo e de Maxi do jogo da segunda mão do play-off de acesso à Liga dos Campeões, frente ao AS Roma.

““O FC PORTO É UMA EQUIPA QUE NÃO SE RENDE”
Nuno Espírito Santo garantiu que os Dragões defrontarão a Roma determinados e preparados para competir
Nuno Espírito Santo puxou dos galões na conferência de imprensa de antevisão do segundo duelo com a Roma (terça-feira, 19h45), prometendo um FC Porto igual a si próprio: “Uma equipa que não se rende, comprometida e corporativa”. O treinador dos Dragões sublinhou a quantidade e qualidade que abunda na equipa romana, mas recordou que esta “já sentiu a força do FC Porto no jogo da primeira mão”. Pedindo maior eficácia no momento de visar a baliza contrária, Nuno Espírito Santo não escondeu que o “grande objetivo” é chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões.
Luta e compromisso
“Vai ser um FC Porto fiel àquilo que já demonstrou esta época: uma equipa que não se rende, comprometida e corporativa. Só uma verdadeira equipa conseguirá vencer aqui e chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões, que é o nosso grande objetivo. Vai ser um FC Porto determinado e a competir”.
A importância de ser eficaz
“A eficácia é importante, não só no jogo de amanhã como em todos os outros. A eficácia é um parâmetro fundamental no êxito de uma equipa. Fizemos muitos remates no jogo da primeira mão, quisemos muito e merecíamos outro resultado. Temos de ser eficazes mas, acima de tudo, equilibrados, conscientes e focados no jogo. Do exterior virá um ambiente adverso e temos de ser organizados, buscando essa tal eficácia. A eficácia traduz-se em golos”.
Garantias de compromisso e superação
“Neste momento, fazer um 11 no FC Porto é um motivo de orgulho, uma garantia de compromisso e superação. Não estou preocupado, mas sim seguro de que todos estão comprometidos e identificados com as nossas ideias. Todos queremos estar na fase de grupos da Liga dos Campeões”.
Conhecimento e respeito pelo adversário
“Conhecemos toda a equipa da Roma e merece-nos o maior respeito. Na primeira mão, apresentou-se de determinada maneira, mas estamos preparados para o que vier e focados em potencializar as nossas virtudes. Estamos unicamente preocupados com aquilo que podemos fazer enquanto equipa”.
Vivos na eliminatória
“São jogos diferentes. A nossa interpretação é sempre jogo a jogo e este será um jogo diferente. Não prevemos nem sugerimos qualquer tipo de cenário, e a realidade é que o resultado da primeira mão mantém-nos vivos na eliminatória. A Roma é uma belíssima equipa e vamos jogar num grande estádio, mas temos de superar os nossos limites para atingirmos os nossos objetivos”.
O plano está traçado
“Temos um plano para o jogo e o plano é competir, disputar cada bola como se fosse a última e lutar por cada metro de relvado. Não nos rendemos, vamos a jogo e não especulamos. Já demonstrámos isso. Os sistemas e as táticas, por vezes, não são assim tão importantes”.
André Silva
“O André Silva é mais um jogador do FC Porto, que tem qualidade e está em crescimento. Podemos prever que vai marcar, mas nada no futebol é garantido. Sabemos o que teremos pela frente, mas a Roma já sentiu a força do FC Porto no jogo da primeira mão mais de metade do tempo. Cada minuto é decisivo e os jogadores sabem disso”.”


““ENTRAMOS EM TODOS OS JOGOS PARA GANHAR”
Maxi Pereira mostrou confiança na motivação da equipa e espera “uma boa resposta em campo”
Ao lado do treinador Nuno Espírito Santo na conferência de imprensa de antevisão da segunda mão do play-off de acesso à Liga dos Campeões (terça-feira, 19h45), Maxi Pereira destacou a importância de “um jogo muito bonito” e garantiu que os Dragões vão entrar no Estádio Olímpico com o objetivo de sempre: ganhar.
Desfrutar do espetáculo e…ganhar!
“É um jogo muito bonito, um espetáculo muito bom. Há que desfrutar, sabendo da importância que tem para o clube e para nós, jogadores. A mensagem é a de sempre: ganhar. É assim que entramos em todos os jogos e neste não será diferente. É uma pressão boa e estou seguro de que a equipa está motivada e que vai dar uma boa resposta em campo”.
Exigência e responsabilidade
“Num clube tão grande como o FC Porto, a exigência e responsabilidade são sempre enormes, seja qual for o jogo. Estamos a lutar pela entrada na Liga dos Campeões e sabemos da importância que isso tem para o clube e para os jogadores, pois é uma competição lindíssima. O grupo está motivado e confiante para o jogo”.
Equipa preparada
“Podemos planear muita coisa, mas dentro do campo as coisas podem mudar. A equipa está preparada para jogar como tiver de jogar, consoante as ideias do treinador e a estratégia delineada. Podemos começar bem ou mal, mas o importante é que, quando o jogo terminar, possamos ser nós a festejar”.
Um duelo de Champions
“Duas equipas tão fortes como estas já deveriam estar na Liga dos Campeões, e não a disputar um play-off. É difícil apontar um favorito, mas sabemos que a Roma é uma grande equipa e que tem jogadores de muita qualidade. Só nos preocupamos connosco e sabemos que há jogadores que serão muito importantes na nossa equipa. É isso que nos interessa”.”

Em


2 – Aqui está a lista de convocados do treinador portista

Casillas, José Sá, Felipe, Marcano, Alex Telles, Maxi, Reyes, Layun, Danilo, Rúben Neves, Sérgio Oliveira, Evandro, André André, João Teixeira, Herrera, Otávio, André Silva, Adrián, Varela e Corona.

3 – O meu palpite para a equipa titular é:

Casillas; Maxi, Filipe, Marcano e Alex Telles/Layun; Danilo/Ruben Neves, Herrera e André André; Corona, André Silva e Otávio.


4 – Sobre o jogo
Decisivo, é isso que este jogo é. E, por isso, não se esperam facilidades, mas espera-se que os comandados de Nuno Espírito Santo transformem as dificuldades em facilidades. Para tal será necessário um FC Porto competente; concentrado; ambicioso; coeso; sólido; solidário; confiante; rigoroso; motivado; e eficaz tanto a defender como a atacar.
Força FC Porto!