terça-feira, 25 de abril de 2017

Análise Ao Momento do FC Porto



Tendo em conta o que se passou nos últimos cinco jogos, ocorre-me fazer a seguinte análise.
Antes do jogo frente ao Vitória de Setúbal no Dragão, a equipa vinha a atravessar uma sequência positiva de jogos, em que jogava bem, marcava golos e confiava nas suas capacidades para alcançar os objetivos traçados para cada jogo. Entendo, por isso, que aquele jogo frente ao Setúbal, que não correu dentro do esperado e desejado, funcionou como uma espécie de pedra na engrenagem e dessa forma, quebrou-se parte da confiança. Vejamos. O Benfica na véspera tinha perdido pontos e uma vitória portista colocaria o FC Porto na liderança. Ora, a equipa não soube lidar com essa pressão, que deveria ter sido positiva, e não conseguiu fazer o que tinha de fazer, vencer, apesar de ter amealhado ocasiões mais do que suficientes para ganhar tranquilamente. Seguiu-se o jogo na Luz e, mais uma vez, uma vitória colocaria os Dragões no topo. O problema foi que, talvez ainda consequência do que tinha acontecido na jornada anterior, a equipa voltou a não conseguir livrar-se da pressão e confiar mais em si. Seguiu-se a receção ao Belenenses, nesse jogo o FC Porto fez o que tinha de fazer, venceu tranquilamente. Depois veio a deslocação a Braga e, outra vez, falhou a confiança, sem que tivessem faltado ocasiões para marcar. E por fim, o jogo frente ao Feirense. Sabendo que o Benfica tinha empatado no clássico, não seria difícil a equipa motivar-se para lutar pelos 3 pontos e voltar a ficar a 1 da liderança. Só que não foi isso que se passou. O FC Porto voltou a sufocar o adversário, voltou a ter ocasiões de golo, mas sem conseguir marcar. Ou seja, nestes quatro empates encontro um ponto comum: faltou razão, faltou critério, faltou confiança e, infelizmente, parece-me que faltam as forças a algumas pedras mais importantes da equipa. Há jogadores para quem o facto de não poderem falhar está a pesar mais do que seria suposto e desejado. O próprio treinador disse na conferência de imprensa após o jogo de Domingo que “há o medo de não voltar a ganhar”. Pois mister, só que esse medo não pode acontecer, porque se acontecer o caldo entorna e não há nada a fazer para remediar. É urgente reverter esta situação, porque, e não há como esconder, vem aí jogos que tem tanto de decisivos quanto de difíceis e se esta equipa já foi capaz de confiar em si própria, tem de o voltar a fazer. Não falta garra, querer, união ou solidariedade a este grupo, mas está a faltar discernimento. É preciso que o FC Porto comece desde o primeiro minuto a pressionar forte para marcar o mais rápido possível e, dessa forma, não permitir que o adversário ganhe confiança a defender. Para além disso, será importante que os médios procurem rematar de fora da área, de modo a aumentarem as probabilidades da bola esbarrar em alguém e entrar.
Só assim consigo encontrar uma explicação para este trajeto descendente que a equipa tem feito nos últimos jogos. E creio que a única forma de recuperar a confiança é voltar, rapidamente, às vitórias, porque não há receitas mágicas, eu pelo menos não a tenho, mas há coisas que são, mais ou menos, óbvias e lógicas.




Resultados da Semana Azul e Branca



Futebol:
Equipa principal – No domingo o FC Porto recebeu o Feirense, em jogo a contar para a 30ª jornada da Liga. No final do encontro verificou-se um empate a 0.
Equipa B – Na quarta os B’S receberam o Gil Vicente, em jogo a contar para a 37ª jornada da II Liga. No final do encontro verificou-se um empate a 2, sendo os golos portistas apontados por Kayembe e Areias.
No domingo o FC Porto B deslocou-se ao terreno do Benfica B, em jogo a contar para a 38ª jornada da II Liga. No final do encontro verificou-se a derrota dos Dragões por 2-1, sendo o golo portista apontado por Galeno.
Juniores B – No sábado os sub17 receberam a Académica, em jogo a contar para a 1ª jornada da fase final do campeonato nacional de juniores B. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 1-0, com golo de Leandro Campos.
Juniores C – No domingo os sub15 receberam o Paços de Ferreira, em jogo a contar para a 4ª jornada da fase final do campeonato nacional de juniores C. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 2-0, sendo os dois golos da autoria de João Pinto.

Andebol:
No sábado o FC Porto deslocou-se ao terreno do Madeira SAD, em jogo a contar para a 6ª jornada da segunda fase do campeonato nacional. No final do encontro verificou-se a derrota dos Dragões por 28-24.

Hóquei:
No domingo o FC Porto deslocou-se ao terreno do Paço de Arcos, em jogo a contar para a 20ª jornada do campeonato. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 4-10.

Basquetebol:
Na sexta o FC Porto deslocou-se ao terreno do Illiabum, em jogo a contar para a 8ª jornada da segunda fase da liga portuguesa de basquetebol. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 44-88.
No domingo os portistas receberam o Vitória de Guimarães, em jogo a contar para a 9ª jornada da segunda fase da liga portuguesa de basquetebol. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 101-96.




segunda-feira, 24 de abril de 2017

Carta Aberta ao Plantel do FC Porto



Caros jogadores do FC Porto
Escrevo-vos após o empate de ontem frente ao Feirense. É, foi duro e não escondo, está a ser difícil de digerir. Como calculo que também o está a ser para vocês… Mas escrevo-vos estas linhas, porque confesso que ontem fiquei muito preocupada, ou por outra, acentuou-se mais ainda a preocupação dos últimos tempos. Se retirarmos o jogo contra o Belenenses da equação, vão quatro empates. E sabem o que isso fez-me lembrar? Aquela sequência de jogos em Novembro… E não, isso não pode voltar a acontecer…
E por isso, numa fase em que vem aí jogos difíceis, quero vos pedir: Rapazes, por favor, não desesperem, porque se vocês desesperarem o golo não aparece… procurem ter calma… Não desistam, nunca! De rematar, sem medo de falhar. E, sobretudo, não pensem no que o Benfica fez ou deixou de fazer. Eu sei que é inevitável pensar, mas isso não está, de todo, a ajudar. Sejam egoístas, pensem apenas e só no FC Porto! Lembrem-se que tem de jogar contra tudo e contra todos, mas acima de tudo tem de o fazer por vocês, pelas cores que defendem. Não desistam já… Procurem as forças que já vos vão faltando nas fraquezas que teimam em aparecer. E acreditem que, aconteça o que acontecer, nós adeptos estamos aqui, sempre! Para vos apoiar, para sorrir convosco, para chorar – e esperemos que seja de alegria – para aplaudir, para sofrer… estamos sempre aqui, juntos, todos juntos, porque o FC Porto nunca estará só.
Tinha muito mais para vos dizer, mas vou deixar isso para outra altura, porque neste momento esta é a mensagem mais importante que queria dirigir-vos.
Vamos rapazes!  Somos Porto!