quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Notas Sobre André Silva e Sobre o Momento do FC Porto



Sobre André Silva
Fiquei feliz pelo número 10 portista ter voltado aos golos, sobretudo por ter convertido a grande penalidade. Estou certa que não conseguir marcar estaria a ser um peso demasiado grande para ele. Resta-nos esperar que a sua confiança retome os níveis do início da época e que o FC Porto possa contar com os seus golos.
Durante o tempo que durou a seca de golos do avançado portista, e de toda a equipa, muitos duvidaram do valor do número 10. Mas não podemos esquecer que o André Silva é um jovem que acabou de sair da formação, que deveria ser suplente, ou jogar ao lado, de um ponta de lança experiente a quem pertencesse a responsabilidade de fazer os golos. Assim o André, que apenas tem 21 anos, poderia evoluir sem pressão, corrigindo os erros que ainda comete, dando asas ao seu talento sabendo que não está sobre os seus ombros o peso da responsabilidade de serem dele os golos.


Sobre o Momento do FC Porto
Há dois conceitos, autoeficácia e eficácia coletiva, que, na minha opinião, são capazes de explicar o que aconteceu com  a equipa portista nos cinco jogos que empatou por  não conseguir marcar e o que mudou com o jogo frente ao Sporting de Braga e que ontem resultou em goleada.
Entende-se por autoeficácia a crença na capacidade pessoal para organizar e executar ações de modo a atingir determinado desempenho. Ou seja, neste caso se um jogador não acredita, ou não confia, que consegue acertar na baliza, dificilmente acerta. Quanto à eficácia coletiva, é a crença partilhada pelo grupo nas suas capacidades conjuntas para organizarem e executarem ações de forma a produzirem certos níveis de rendimento. Isto é, neste caso, se a cada um falta autoeficácia, ou confiança, para executar as jogadas, vão passando a bola, mas se o colega está na mesma situação, dificilmente consegue ser eficaz.
Na minha opinião, a falta de eficácia que atingiu a equipa fez crescer a ansiedade, na mesma proporção que fez decrescer a confiança, as crenças de autoeficácia e de eficácia coletiva. E quanto mais minutos passavam sem que a bola entrasse, apesar das ocasiões de golo, o problema ia agravando, qual bola de neve. Daí que no Sábado Rui Pedro, que não tinha partilhado o problema com a equipa, tenha sido capaz de marcar aquele golo, mesmo no final do jogo. O golo de sábado funcionou como um clique que fez com que a equipa deixasse de ter um problema de eficácia que tinha, até então, resultado em cinco empates, permitiu que se libertasse da preção de não marcar, fez a ansiedade diminuir enquanto que a confiança cresceu, bem como as crenças de autoeficácia e a eficácia coletiva.
Por essa razão ontem o FC Porto conseguiu conjugar as boas jogadas com a confiança e a eficácia necessárias e assim os golos surgiram naturalmente. Agora espera-se que a equipa aproveite da melhor forma este balão de oxigénio.







quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Crónica e Análise: FC Porto 5 - Leicester 0



Cinco Golos Para Carimbar Com Classe a Passagem à Próxima Fase

No início de noite desta Quarta o FC Porto recebeu o Leicester, em jogo a contar para a 6ª jornada da fase de grupos, grupo G, da Liga dos Campeões. No final do encontro verificou-se a vitória dos Dragões por 5-0.
Para este jogo Nuno Espírito Santo apostou num onze composto por: Casilas; Maxi, Filipe, Marcano e Alex Telles; Danilo, Óliver e Brahimi; Corona, André Silva e Diogo Jota.
O FC Porto entrou bem em jogo, demonstrando que pretendia marcar o mais rápido possível. E realmente o golo não tardou. Ao minuto 6, André Silva fez questão de abrir a porta do acesso aos oitavos de final, que afinal de contas, já estava entreaberta, dando a melhor sequência a um canto cobrado por Corona. Primeiro momento de alegria nas bancadas. Sem tirar o pé do acelerador, o FC Porto continuou a dominar e a controlar o encontro, não permitindo que o Leicester tentasse reagir. E, por isso, foi sem surpresa que Corona, ao minuto 25, fez o segundo golo, com um grande remate. Mas a cereja no topo do delicioso bolo servido aos adeptos foi o golo de Brahimi, ao minuto 44, de calcanhar, a fazer recordar outro golo de calcanhar de outro argelino.
No segundo tempo os ingleses tentaram responder ao domínio portista e à vantagem, mas a baliza de Casillas nunca esteve ameaçada. Na resposta André Silva, derrubado na área, viu o árbitro assinalar grande penalidade que o próprio se encarregou de converter no quarto golo da noite, ao minuto 63. Diogo Jota, ao minuto 77, fechou as contas do encontro com o quinto tento portista.
O FC Porto vestiu o fato de gala para uma noite europeia na qual a vitória era a única forma de sair feliz do Estádio do Dragão e de continuar na Liga dos Campeões, arregaçou as mangas e foi a luta com toda a garra, determinação, ambição e competência; transformou as dificuldades que se esperavam surgir em facilidades e goleou os ingleses com toda a classe do mundo. Foi uma fantástica exibição, com uma primeira parte demolidora, que terminou com os Dragões a vencer por 3 sem resposta, ou sequer esboço de tentativa de resposta. No segundo tempo o ritmo foi outro, mas, ainda assim, surgiram mais dois golos. Estou muito feliz e orgulhosa da exibição e da vitória que esta equipa hoje conseguiu, mostrando que a união faz a força; que a determinação, a garra, a crença, a competência, a solidariedade e a classe que fazem parte do espírito do Dragão estão presentes; que a eficácia ajuda qualquer equipa a ganhar confiança, a confiança que na semana passada faltava. Esta equipa hoje voltou a ser porto!
Em suma, o FC Porto foi a única equipa que quis agarrar os três pontos num jogo que sabia que tinha de vencer para depender de si próprio.
Com esta vitória o FC Porto terminou a fase de grupos com 11 pontos, no segundo lugar do grupo G. Segue-se os oitavos de final da prova rainha do futebol europeu.




terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Antevisão da 6ª Jornada da Fase de Grupos da Liga dos Campeões



1 – Aqui está a antevisão de Nuno Espírito Santo e de Casillas do jogo da 6ª jornada da fase de grupos, grupo G, da Liga dos Campeões, frente ao Leicester.

“NUNO: “QUEREMOS ESTAR NAS 16 MELHORES EQUIPAS DA EUROPA”
Treinador quer manter solidez defensiva e controle do jogo para bater o Leicester e garantir os “oitavos” da Champions

No jogo de sábado frente ao SC Braga, o FC Porto manteve a “solidez da defesa”, o “equilíbrio” e o controle do adversário, adicionando-lhe o que vinha faltando: o golo que valeu a vitória, já nos descontos. Frente ao Leicester (quarta-feira, 19h45, no Estádio do Dragão, com transmissão em direto na Sport TV 4), na sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões, Nuno Espírito Santo quer preservar aquilo de bom que os azuis e brancos têm feito nas últimas semanas e juntar-lhe a capacidade de concretização que permita bater o campeão inglês e garantir o acesso aos oitavos de final da prova. Os três pontos serão sinónimo do segundo lugar do grupo (o primeiro está entregue ao Leicester), enquanto outro resultado deixa os portistas dependentes do que o Copenhaga fizer em Bruges. O treinador falou esta terça-feira, em conferência de imprensa de antevisão do desafio, ainda sobre outras situações, como a permanência de Rui Pedro no plantel principal e a eventual titularidade de Brahimi, que é “mais uma opção” para o onze.
Apoio para um jogo difícil
“Na Liga dos Campeões esperamos um jogo difícil. Defrontamos o atual campeão inglês, mas acima tudo esperamos um jogo em que dependemos de nós mesmos para conseguir um objetivo e dar um último passo no caminho que começámos no play-off frente à Roma. Esperamos um Estádio do Dragão a apoiar a equipa e uma equipa a fazer tudo e a ser merecedora desse incentivo.”
Juventude e responsabilidade
“Enquanto equipa técnica, a nossa abordagem é igual para todos os jogos: máxima determinação, concentração e empenho, apesar da juventude do plantel. Os jogadores têm consciência da responsabilidade que têm por representar o FC Porto. Este jogo não requer mais do que temos feito até hoje. Representamos o FC Porto, queremos ganhar o jogo e estar nas 16 melhores equipas da Europa.”
A situação de Rui Pedro
“Temos de ter muita atenção de quem estamos a falar. O Rui Pedro é um jovem de presente e de muitíssimo futuro, mas não podemos esquecer que tem idade de júnior. Entrou frente ao Braga, teve um bom desempenho, mas o facto de ter marcado o golo não invalida o plano que temos para ele.”
Um adversário mais relaxado?
“Não podemos esquecer que o Leicester é o campeão inglês, sem dúvida que tem um grande plantel. Não esperamos facilitismos. Eles já se qualificaram, foram merecedores, mas chegam ao Dragão com muitas opções, têm jogadores no plantel com muita qualidade. Fazemos as coisas a pensar em nós e conscientes do adversário que temos pela frente, mas vamos jogar no Dragão, temos a decisão do nosso lado e dependemos de nós. Temos todos de contribuir para o que pretendemos e ser integrantes das 16 melhores equipas da Europa.”
Manter o rumo
“O jogo de amanhã é uma nova oportunidade para o que consideramos ser normal acontecer e não vinha acontecendo. Temos tido desempenhos bons, muita produção, jogos em que fomos claramente superiores e aconteceu não vencer. O jogo de amanhã será mais um nesta linha. Não podemos esquecer o que temos feito bem, queremos manter a solidez da defesa, o equilíbrio, controlar o ataque do adversário e, se possível, ganhar o jogo.””


“CASILLAS: “É UM JOGO IMPORTANTE PARA A CIDADE, CLUBE E ADEPTOS”
Guarda-redes espanhol destaca a “vontade de vencer” o Leicester e seguir em frente na Liga dos Campeões
Na antevisão do duelo com o Leicester City, relativo à sexta e última jornada do Grupo G da Liga dos Campeões, o guarda-redes Iker Casillas garantiu que na quarta-feira (19h45, Sport TV) os Dragões vão subir ao relvado do Estádio do Dragão com o objetivo de vencer a formação inglesa, num jogo que vê como “muito importante para o clube, para a cidade e para os adeptos”.
Frente aos campeões ingleses, o guardião afirma que os portistas deverão entrar em campo “tranquilos” e não deverão alterar a forma de jogar que têm demonstrado nos últimos jogos. Assim, e porque tem sido um dos pontos fortes do jogo do FC Porto, a solidez defensiva deve continuar a ser um dos pilares do jogo de uma equipa que, após o regresso aos triunfos, se voltou a sentir “vencedora” e por isso parte para este desafio com renovada confiança.
Mensagem para a equipa
“Nós damos importância a todos os jogos. Agora estamos concentrados neste jogo, pois estamos cientes que se ganharmos estamos na próxima fase da Liga dos Campeões e se não ganharmos teremos de ficar dependentes de resultados de terceiros. É um jogo muito importante para o clube, para a cidade e para os adeptos e por isso vamos tratá-lo com o respeito que ele merece.”
A importância do jogo e o “bom ambiente” no plantel
“É o jogo mais importante porque é o próximo. Quando o jogo acabar há que pensar já no próximo, no domingo. Temos que entrar bem, a jogar bem, com tranquilidade e a jogar como estamos a jogar. Não adianta entrar a jogar como um louco, mas sim continuar a fazer o nosso jogo, porque as ocasiões vão aparecer e seguramente os golos também. Quanto ao plantel, penso que o técnico escolheu e este é o melhor plantel, até porque para lá do futebol também há o fator humano e creio que o bom ambiente que aqui se respira não se pode ver, mas nós sentimo-lo todos os dias.”
A estabilidade defensiva
“Creio que a estabilidade defensiva não se deve só aos que jogam atrás ou aos guarda-redes, mas sim ao trabalho de toda a equipa. Não é fácil quando tens que juntar muitos novos jogadores numa nova etapa, como aconteceu com a nossa equipa neste ano. A solidez defensiva é muito importante, e, independentemente dos jogadores que o treinador escolhe, penso que tem sido uma constante. Se concretizarmos as nossas oportunidades e mantivermos a baliza fechada vamos com toda a certeza ganhar muitos jogos.”
A confiança após o regresso às vitórias
“Quando empatas tantos jogos consecutivos, muitos injustamente, a equipa fica um pouco frustrada. Este último resultado foi justo e tendo em conta o número de ocasiões de golo penso que até merecíamos ter vencido por mais. Voltar a saborear a vitória faz-nos sentir uma equipa vencedora e tê-lo conseguido nas circunstâncias que foram dá-nos o dobro da satisfação e confiança.”
O momento da carreira
“Creio que a vida de um jogador de futebol tem várias etapas. Eu estive muito tempo na mesma cidade, no mesmo clube e a toda gente custa dar um passo e abandonar a casa. Este clube acolheu-me muito bem e, como somos humanos, precisamos sempre de um período de adaptação. Agora, pessoalmente, as coisas estão a correr bem, mas é a nível coletivo que eu quero que funcionem. Quero ver um Porto como uma equipa de referência não só em Portugal, mas também na Europa.”
As palavras a Rui Pedro
“Todos os jovens que vêm para a ajudar a equipa a ganhar jogos são muito bem-vindos. Ficamos encantados por recebê-los. O Rui Pedro é um rapaz fantástico, humilde e disposto a ajudar sempre que o treinador assim o entende e a nossa missão é também ajudá-lo.”
O duelo com Slimani
“Infelizmente, sempre que o Slimani me marcou um golo foi o FC Porto que sofreu. É um grande jogador, tem muita qualidade e demonstra isso em todos os jogos. Esperemos que neste jogo não suceda…mas se ele marcar e nós ganharmos também não vejo grande problema nisso. Interessa é nós ganharmos.”
Jamie Vardy e a nomeação para o Ballon d´Or
“Creio que é um jogador com muita qualidade. Na época passada fez uma brilhante Premier League, foi importante para o título do Leicester e por isso não me surpreende que seja nomeado para o Ballon d´Or.””

Em


2 – O meu palpite para a equipa titular é
Casillas; Maxi, Filipe, Marcano e Alex Telles/Layun; Danilo, Óliver e André André/Herrera/ Brahimi; Diogo Jota, André Silva e Corona.

3 – Sobre o jogo
O FC Porto depende de si próprio, é certo, mas também é certo que mesmo que os ingleses já tenham na mão o passaporte para a próxima fase da prova, não se esperam facilidades. Mas espera-se que os comandados de Nuno Espírito Santo Dem a volta às dificuldades, transformando-as em facilidades. Para tal espera-se um FC Porto competente; concentrado; confiante; coeso; sólido; solidário; unido; ambicioso; motivado; determinado; e eficaz tanto a defender como a atacar.
Força FC Porto!